quinta-feira, 31 de março de 2016

Dia da Saúde e Nutrição


Dia de São Guido

Guido nasceu na segunda metade do século X, em Casamare, perto de Ravena, Itália. Após concluir seus estudos acadêmicos na cidade natal, mudou-se para Roma, onde recebeu o hábito de monge beneditino e retirou-se à solidão. Sob a direção espiritual de Martinho, também ele um monge eremita e depois canonizado pela Igreja, viveu observando fielmente as Regras de sua ordem, tornando-se um exemplo de disciplina e dedicação à caridade, à oração e à contemplação. Três anos depois, seu diretor o enviou ao mosteiro de Pomposa. Embora desejasse afastar-se do mundo, seu trabalho como musicista era necessário para a comunidade cristã.
No convento a história se repetiu. Era um modelo tão perfeito de virtudes, que foi eleito abade por seus irmãos de congregação. Sua fama espalhou-se de tal forma, que seu pai e irmãos acabaram por toma-lo como diretor espiritual e se tornaram religiosos. Sentindo o fim se aproximar, Guido retirou-se novamente para a tão almejada solidão religiosa. Mas, quando o imperador Henrique III foi a Roma para ser coroado pelo Papa, requisitou o abade para acompanhá-lo como conselheiro espiritual.
Guido cumpriu a função delegada, mas ao despedir-se dos monges que o hospedaram, despediu-se definitivamente demonstrando que sabia que não se veriam mais. Na viagem de retorno, adoeceu gravemente no caminho entre Parma e Borgo de São Donino e faleceu, no dia 31 de março de 1046.
Imediatamente, graças passaram a ocorrer, momentos depois de Guido ter morrido. Um homem cego recuperou a visão em Parma por ter rezado por sua intercessão. Outros milagres se sucederam e os moradores da cidade recusaram-se a entregar o corpo para que as autoridades religiosas o trasladassem ao convento. Foi necessário que o próprio imperador interviesse. Henrique III levou as relíquias para a Catedral de Spira. A igreja, antes dedicada a São João Evangelista, passou a ser chamada de São Guido, ou Wido, ou ainda Guy, como ele era também conhecido.
A história de São Guido é curiosa no que se refere à sua atuação religiosa. Ele é o responsável pela nova teoria musical litúrgica. Desejava ser apenas um monge solitário, sua vocação original, mas nunca pode exercê-la na sua plenitude, teve que interromper esta condição a pedido de seus superiores, devido ao dom de músico apurado, talento que usou voltado para a fé. Quando pensou que poderia morrer na paz da solidão monástica, não conseguiu, mas foi para a Casa do Pai, já gozando a fama de santidade.
A Igreja também celebra hoje a memória dos santos: Balbina, Amós, Benjamim e Cornélia
Fonte: Notícias Católicas

Aos aniversariantes


Bom Dia


segunda-feira, 28 de março de 2016

Entidade busca mulheres para viagem de reportagem na África

http://portal.comunique-se.com.br/jo-com/80477-entidade-busca-mulheres-para-viagem-de-reportagem-na-africa-info

Pacientes e funcionários do HR recebem orientações sobre epilepsia

http://www.hrpresidenteprudente.org.br/conteudo.aspx?id=744&tipo=noticias

Moção: Garantia de sinal de telefonia móvel em rodovias



Requerimento: Informações sobre semáforos sonoros


Requerimento: Informações sobre exames oftalmológicos nas Escolas municipais


P.L Diário Oficial Eletrônico




Dia de São Xisto

Xisto chegou a adotar uma posição neutra na controvérsia entre pelagianos e semipelagianos do sul da Gália, especialmente contra Cassiano, sendo advertido pelo papa Zózimo. Mas reconheceu o seu erro, com a ajuda de Agostinho, bispo de Hipona, que combatia arduamente aquela heresia, e que lhe escrevia regularmente.
Ao se tornar papa em 432, Xisto III agindo com bastante austeridade e firmeza, nesta ocasião, Agostinho teve de lhe pedir moderação. Foi assim, que este papa conseguiu o fim definitivo da doutrina herege. Esta doutrina pelagiana negava o pecado original e a corrupção da natureza humana. Também defendia a tese de que o homem, por si só, possuía a capacidade de não pecar, dispensando dessa maneira a graça de Deus.
Ele também conduziu com sabedoria uma ação mais conciliadora em relação a Nestório, acabando com a controvérsia entre João de Antioquia e Cirilo, patriarca de Constantinopla, sobre a divindade de Maria. Em seguida, demonstrou a sua firme autoridade papal na disputa com o patriarca Proclo. Xisto III teve de escrever várias epístolas para manter o governo de Roma sobre a lliría, contra o imperador do Oriente que queria torná-la dependente de Constantinopla, com a ajuda deste patriarca.
Depois do Concílio de Éfeso em 431, em que a Mãe de Jesus foi aclamada Mãe de Deus, o papa Xisto III mandou ampliar e enriquecer a basílica dedicada à Santa Mãe das Neves, situada no monte Esquilino, mais tarde chamada Santa Maria Maior. Esta igreja é a mais antiga do Ocidente que foi dedicada a Nossa Senhora.
Desta maneira ele ofereceu aos fiéis um grande monumento ao culto da bem-aventurada Virgem Maria, à qual prestamos um culto de hiperdulia, ou seja, de veneração maior do que o prestado aos outros santos. Xisto III mandou vir da Palestina as tábuas de uma antiga manjedoura, que segundo a tradição havia acolhido o Menino Jesus na gruta de Belém, dando origem ao presépio. Introduziu no Ocidente a tradição da Missa do Galo celebrada na noite de Natal, que era realizada em Jerusalém desde os primeiros tempos da Igreja.
Durante o seu pontificado, Xisto III promoveu uma intensa atividade edificadora, reformando e construindo muitas igrejas, como a exuberante basílica de São Lourenço em Lucina, na Itália.
Morreu em 19 de agosto de 440, deixando a indicação do sucessor, para aquele que foi um dos maiores papas dos primeiros séculos, Leão Magno. A Igreja indicou sua celebração para o dia 28 de março, após a última reforma oficial do calendário litúrgico.
A Igreja também celebra hoje a memória dos santos: Gontrão, Malco e Castor.
Fonte: Notícias Católicas

Para nossa reflexão


Aos aniversariantes aquele abraço especial


bom dia meus amores


domingo, 27 de março de 2016

Doar - Feliz Páscoa

O que podemos doar além das roupas e roupas?

Podemos doar aquele abraço, um sorriso, um beijo, amor, esperança e paz.....

Feliz Páscoa


Oração da Páscoa


Dia do Teatro - parabéns a todos os profissionais deste mundo mágico


Feliz Páscoa (texto)


A Páscoa é um grande momento para uma reflexão profunda. Pensarmos como a vida passa rápida demais. Pensar que num piscar de olhos tudo mode mudar.

Essa data traz palavras fortes como Ressurreição, Amor, Perdão e que muitas vezes esquecemos de como aplicar em nosso dia-dia.

O dia para reunirmos a família e colocar em prática os ensinamentos de Cristo.

Mas não somente no dia de hoje. Mas sim todos os dias.

Acreditar que mesmo diante das dificuldades sejam elas financeiras, de saúde, pessoais ou qualquer outro tipo, haverá a ressurreição. Uma ressurreição que trará boas novas. Esperança. Saúde. Paz de espírito.

Cristo ressuscitou para dar prova disso. Mesmo diante de uma noite de sofrimento e choro, o amanhecer será de bençãos, luz e paz.

Que é preciso primeiramente nos perdoar dos nossos erros. E que precisamos perdoar os outros dos seus erros cometidos contra a gente.

Sabemos que perdoar não é um ato simples.... mas é praticando este ato que seremos perdoados também de nossos erros.

Amar, como é delicioso!!!! Amar nossa família, nossos amigos, nossos animais, nossos colegas de trabalho. É fácil. Mas já percebeu como é difícil amar a todos. Até aquela pessoa que nos irrita?

Assim como o perdão, amar também não é um ato fácil. Comer bolo de chocolate é bom, mas jiló ou quiabo não é para qualquer um.

Amar a todos!!!

Cristo deixa exemplos magníficos para nossa vida. O dia de hoje é para pensamos mais nos seus exemplos e se possível pormos em prática.

Amar, perdoar e acreditar na ressurreição.

Nesta data desejo de coração que Cristo possa abençoar a todos e a todas. Que despeje em cada lar, paz, amor, perdão e que o milagre da vida seja uma constante.....

beijinhos no coração de cada um...

Alba Lucena

sexta-feira, 25 de março de 2016

Dia de São Dimas

O Evangelho fala pouco deste Santo. Nem mesmo o nome, os evangelistas fixaram. O que sabemos foi trazido pela tradição que são os nomes: Dimas, o Bom Ladrão e Simas, o mau ladrão.
Sem dúvida alguma, se trata de um santo original, único, privilegiado, que mereceu a honra de ser canonizado em vida por Jesus Cristo, na hora solene de nossa Redenção. Os outros santos só foram solenemente reconhecidos, no outro milênio, a partir do ano 999. A Igreja comemorava os mártires
e confessores, mas sem uma declaração oficial e formal. Enquanto que, a de São Dimas quem proclamou foi o próprio Fundador da Igreja.
Dimas foi o operário da última hora, o que nos fez ver o mistério da graça derradeira. O mau ladrão resistiu, explodiu em blasfêmias. Rejeitou a graça, visivelmente dada pelo Redentor. O Bom Ladrão, depois de vacilar (Mt 27,44 -Mc 15,32), confessou a própria culpa, reclamou da injustiça contra Aquele que só fez o bem, reconheceu-O como Rei e lhe pediu que se lembrasse dele, quando estivesse no seu Reino.
Segundo a tradição, Dimas não era judeu, mas sim egípcio de nascimento. Dimas e Simas praticavam o banditismo nos desertos de passagem para o Egito. Lá a Sagrada Família, que fugia da perseguição do rei Herodes, foi assaltada por dois ladrões e um deles a protegeu. Era Dimas. Naquela época, entre os bandidos havia o costume de nunca roubar, nem matar, crianças, velhos e mulheres. Assim, Dimas deu abrigo ao Menino Jesus protegendo a Virgem Maria e São José.
Dimas foi um bandido muito perigoso da Palestina. E isso, realmente pode ser afirmado pelo suplício da cruz que mereceu. Essa condenação horrível era reservada somente aos grandes criminosos e aos escravos.
O Martirológio Romano diz apenas no dia 25 de Março: “Em Jerusalém comemoração do Bom Ladrão que na cruz professou a fé de Jesus Cristo”. E no mundo todo São Dimas passou a ser festejado neste dia.
O Bom Ladrão ou São Dimas foi o primeiro que entrou no céu: “Ainda hoje estarás comigo no Paraíso”. (Lc 23,43). Ele passou a ser popularmente considerado o “Padroeiro dos pecadores arrependidos da hora derradeira, dos agonizantes, da boa morte”. Morreu sacramentado pela absolvição do próprio Cristo, e por Ele conduzido ao Paraíso.
A Igreja também celebra hoje a memória dos santos:  Lúcia, Desidério e Quirino.
Fonte: Notícias Católicas

Dia Nacional da Comunidade Árabe no Brasil


Para refletirmos o dia de hoje


Oração para Sexta-Feira Santa


Sexta Feira Santa


terça-feira, 22 de março de 2016

Dia Internacional de Luta pela Eliminação da Discriminação Racial







Na noite de 21 de Março não poderia deixar de ressaltar a importância deste dia.

Dia Internacional de Luta pela Eliminação da Discriminação Racial