segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Tchau Agosto, até 2016!!!!!


Maestro Luizão "Cidadão Prudentino"







Parabéns a todos os Nutricionistas


Aos aniversariantes do Dia beijos e abraços


Requerimento a ser votado hoje: Sistema Eletrônico em frota


Moção de Aplauso ao CIEE - Centro de Integração Empresa-Escola


Dia 29 de Agosto - Dia do Martírio de São João Batista (com texto)


29 de Agosto - Martírio de São João Batista

A festa da natividade de são João Batista ocorre no dia 24 de junho. Ela faz parte da tradição dos cristãos, assim como esta que celebramos hoje, do martírio de são João Batista. No calendário litúrgico da Igreja, esta comemoração iniciou na França, no século V, sendo introduzida em Roma no século seguinte. A origem da comemoração foi a construção de uma igreja em Sebaste, na Samaria, sobre o local indicado como o do túmulo de são João Batista. 

João era primo de Jesus e foi quem melhor soube levar ao povo a palavra do Mestre. Jesus dedicou-lhe uma grande simpatia e respeito, como está escrito no evangelho de são Lucas: "Na verdade vos digo, dentre os nascidos de mulher, nenhum foi maior que João Batista". João Batista foi o precursor do Messias. Foi ele que batizou Jesus no rio Jordão e preparou-lhe o caminho para a pregação entre o povo. Não teve medo e denunciou o adultério do rei Herodes Antipas, que vivia na imoralidade com sua cunhada Herodíades. 

A ousadia do profeta despertou a ira do rei, que imediatamente mandou prendê-lo. João Batista permaneceu na prisão de Maqueronte, na margem oriental do mar Morto, por três meses. Até que, durante uma festa no palácio daquela cidade, a filha de Herodíades, Salomé, instigada pela ardilosa e perversa mãe, dançou para o rei e seus convidados. A bela moça era uma exímia dançarina e tinha a exuberância da juventude, o que proporcionou a todos um estonteante espetáculo. 

No final, ainda entusiasmado, o rei Herodes disse que ela poderia pedir o que quisesse como pagamento, porque nada lhe seria negado. Por conselho da mãe, ela pediu a cabeça de João Batista numa bandeja. Assim, a palavra do rei foi mantida. Algum tempo depois, o carrasco trazia a cabeça do profeta em um prato, entregando-a para Salomé e para sua maldosa mãe. O martírio por decapitação de são João Batista, que nos chegou narrado através do evangelho de são Marcos, ocorreu no dia 29 de agosto, um ano antes da Paixão de Jesus.
Fonte: Portal Paulinas

Dia de São Raimundo Nonato (com texto)

31 de Agosto - São Raimundo Nonato

Raimundo nasceu em Portell, na Catalunha, Espanha, em 1200. Seus pais eram nobres, porém não tinham grandes fortunas. O seu nascimento aconteceu de modo trágico: sua mãe morreu durante os trabalhos de parto, antes de dar-lhe à luz. Por isso Raimundo recebeu o nome de Nonato, que significa não-nascido de mãe viva, ou seja, foi extraído vivo do corpo sem vida dela.

Dotado de grande inteligência, fez com certa tranquilidade seus estudos primários. O pai, percebendo os dotes religiosos do filho, tratou de mandá-lo administrar uma pequena fazenda de propriedade da família. Com isso, queria demovê-lo da ideia de ingressar na vida religiosa. Porém as coisas aconteceram exatamente ao contrário.

Raimundo, no silêncio e na solidão em que vivia, fortificou ainda mais sua vontade de dedicar-se unicamente à Ordem de Nossa Senhora das Mercês, fundada por seu amigo Pedro Nolasco, agora também santo. A Ordem tinha como principal finalidade libertar cristãos que caíam nas mãos dos mouros e eram por eles feitos escravos. Nessa missão, dedicou-se de coração e alma.

Apesar da dificuldade, conseguiu o consentimento do pai e, finalmente, em 1224, ingressou na Ordem, recebendo o hábito das mãos do próprio fundador. Ordenou-se sacerdote, e seus dotes de missionário vieram à tona, dedicando-se de coração e alma. Por isso foi mandado em missão à Argélia, norte da África, para resgatar cristãos das mãos dos muçulmanos. Conseguiu libertar 150 escravos e devolvê-los às suas famílias.

Quando se ofereceu como refém, sofreu no cativeiro verdadeiras torturas e humilhações. Mas mesmo assim não abandonou seu trabalho. Levava o conforto e a Palavra de Deus aos que sofriam mais do que ele e já estavam prestes a renunciar à fé em Jesus. Muitas foram as pessoas convertidas por ele, o que despertou a ira dos magistrados muçulmanos, os quais mandaram que lhe perfurassem a boca e colocassem cadeados, para que Raimundo nunca mais pudesse falar e pregar a doutrina de Cristo.

Raimundo sofreu durante oito meses essa tortura até ser libertado, mas com a saúde abalada. Quando chegou à pátria, na Catalunha, em 1239, logo foi nomeado cardeal pelo papa Gregório IX, que o chamou para ser seu conselheiro em Roma. Empreendeu a viagem no ano seguinte, mas não conseguiu concluí-la. Próximo de Barcelona, na cidade de Cardona, já com a saúde debilitada pelos sofrimentos do cativeiro, Raimundo Nonato foi acometido de forte febre e acabou morrendo, em 31 de agosto de 1240, aos 40 anos de idade.

Raimundo Nonato foi sepultado naquela cidade e o seu túmulo tornou-se local de peregrinação, sendo, então, erguida uma igreja para abrigar seus restos mortais. Seu culto propagou-se pela Espanha e pela Europa, sendo confirmado por Roma em 1681. São Raimundo Nonato, devido à condição difícil do seu nascimento, é venerado como Padroeiro das Parturientes, das Parteiras e dos Obstetras.
Fonte: Portal Paulinas

Balcão de Emprego - 31 de Agosto





bom dia e boa semana


sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Balcão de Emprego - 28 de Agosto





Novena de Santo Agostinho

Novena de Santo Agostinho

» "Tarde te amei! Oh! Beleza sempre antiga e sempre nova. Tarde de amei!

Apresentamos esta novena-oração-reflexão com a esperança de que a celebração da festa de Nosso Pai Santo Agostinho, seja precedida de um tempo de oração e aprofundamento sobre os valores humanos espirituais que ele nos legou.
A que dirige a oração poderá introduzir salmos, cantos para torná-la mais viva e participativa.

» 1º DIA - DEUS PAI, CRIADOR

› Cantemos : Em nome do Pai, em Nome do Filho, em nome do Espírito Santo, estamos aqui! Para louvar e agradecer, bendizer e adorar, Estamos aqui, Senhor ao teu dispor! Para louvar e agradecer, bendizer e adorar! Te aclamar, Senhor, Deus Trino de Amor.
› Comentarista: Irmãos e irmãs, hoje Santo Agostinho nos convida a contemplar a todas as criaturas de Deus e a louvar o seu Criador. Vamos ouvir a reflexão que ele nos oferece.
› Leitor: Deus criou e organizou todas as coisas e todas as coisas louvam ao Senhor. Quando você olha e contempla a beleza das obras de Deus, nelas você também louva ao teu Deus.
A terra que parece muda também tem a sua voz, tem o seu rosto. Você olha e vê a sua face, a sua superfície, vê a sua fecundidade e a sua força, vê como a semente aí germina e que a terra faz brotar até aquilo que não foi semeado pelo homem.
Depois de ter admirado toda essa maravilha, você sentirá que a terra somente pode mostrar esta grandeza porque a recebeu do seu Criador.
A maravilha que você encontra nas criaturas é a voz da própria criatura, convidando a você a louvar o Criador. Através da sua beleza, a terra lhe está dizendo: ?Não fui eu que me fiz, foi Deus! A glória seja dada a Ele.
› Leitor: Digamos todos ao nosso Criador: Como Tu és poderoso, Senhor, que fizeste a terra e a encheste de bens, que lhe entregaste as diversas sementes para que produzissem esta variedade de frutos. Bendito sejas, Senhor, nosso Deus criador e salvador!
› Comentarista: Fechemos os olhos por um momento e pensemos nesta grande maravilha que é o nosso planeta terra.
Comente estas duas perguntas com a pessoa que está ao seu lado.
› v - Como estamos cuidando desta grande maravilha que Deus nos entregou para o nosso próprio bem? (água, matas, animais, energia elétrica, etc...)
› v - Quais são e serão as conseqüências dos maus tratos a esta tão grandiosa obra de Deus?
› Comentarista: Este é o momento para que cada um, cada uma, expresse espontaneamente o seu agradecimento a Deus, atravéde uma oração de louvor, ou faça o seu pedido.
› Todos juntos, oremos: Senhor, nosso Deus e Criador, Tu que criaste a terra, e sobre ela colocaste a vida, ajuda-nos a preservá-la de todo o mal. Deste inteligência ao ser humano, juntamente com a liberdade de administrar todos os bens, mas com a condição de que a nenhuma de suas criaturas faltasse o necessário para viver com dignidade. Ajuda-nos, Senhor, a readquirir um olhar contemplativo para ver no mundo, na realidade, em todos os seres viventes, a marca de tuas mãos de Pai, Criador e Salvador. Ajuda-nos a aprender de Ti a não reduzir a totalidade da Tua criação aos nossos egoísticos interesses. Ajuda-nos também a aprender de Ti a respeitá-la, a amá-la como morada tua e do ser humano. Amém!

» 2º DIA - CRISTO CAMINHO

› Comentarista: Eu buscava um meio que me desse forças para gozar de ti, mas não o encontraria, enquanto não aderisse ao mediador entre Deus e os homens, o homem Cristo Jesus, que acima de todas as coisas é o Deus bendito pelos séculos, e que chama e diz: eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida. (Cf. VII,18.24).
› Leitor: Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida?. Quem não aspira à verdade e à vida?, pergunta Agostinho. E ele mesmo dá a resposta: todos aspiram porém, nem todos encontram o caminho para chegar a elas. Cristo, no seio do Pai é a Verdade e é a Vida. Ele é o Verbo de Deus e dele se disse: A vida era a luz dos homens. Sendo Ele, no seio do Pai a Verdade e a Vida e não sabendo nós por onde chegar a elas, Ele, Filho de Deus, Verdade eterna e Vida Ele, se fez homem para ser para nós o Caminho. Seguindo o caminho de sua humanidade, chegaremos à divindade. Ele nos conduz a Ele mesmo. Não andes buscando por onde ir a Ele fora dele. Se Ele não tivesse querido ser Caminho, andaríamos sempre extraviados. Ele se fez caminho por onde ir. Ele é o caminho que vem a Ti. Levanta-te e anda! Anda com a conduta, não com os pés. Muitos andam bem com os pés e mal com a conduta. E ainda há os que andam bem, mas fora do caminho. Encontrarás pessoas que correm bem mas não pelo Caminho, e quanto mais andam, mas se extraviam, pois se afastam do Caminho.
Se essas pessoas entrassem pelo Caminho que é Cristo e lhe seguissem, andariam com mais segurança , não andariam errantes. É preferível, sem dúvida alguma, ir pelo Caminho, ainda que mancando, que correr fora dele. (Sto Agostinho, Sermão 141.1.4)
› Leitor: Juntou-se a eles um terceiro caminhante, e o Caminho começou a falar com eles durante o caminho; e foi entrando de mansinho naquela conversa derrotista dos dois discípulos...ia esclarecendo os acontecimentos segundo as Escrituras. Chegando ao povoado, aceitou o convite para entrar e ficar com Eles. Não teve pressa...durante o caminho foi conduzindo a mente e o coração dos discípulos para que O reconhecessem justamente no momento certo, ao benzer e repartir o pão. (Cf. Sto Agostinho, sermão 236, 2-3 – discípulos de Emaús)
› Comentarista:
v - Como você vai sentindo, no seu dia a dia, a presença deste Deus que é Caminho, Verdade e Vida?
v - Você já se encontrou, alguma vez, na situação do discípulos de Emaús, tanto no desconcerto causado pelos acontecimentos, como na iluminação trazida pela benção e partir do pão?
Todos juntos, oremos: Senhor, que conheçamos na terra o teu caminho, o caminho que conduz a Ti. Que saibamos para onde ir e por onde ir. Tu nos disseste: “Eu sou o caminho, a verdade, e a vida” (Jo 14,6) andai por mim, andai em mim, e em mim repousai. Por mim conhecereis o Pai. Senhor, ajuda-nos a acolher-te, apaixonadamente como Caminho, como Verdade e Vida. Que por nada e ninguém nos afastemos de Ti. Amém! Amém! Amém! (Cf. Sto. Agostinho, Comentário aos Salmos. Sl.66,5.6).

» 3º DIA - CRISTO VIDEIRA

› Comentarista: Santo Agostinho nos oferece hoje a sua reflexão sobre a nossa vinculação com Cristo, a verdadeira videira. Nesta passagem evangélica, Jesus se apresenta como a videira, os discípulos como os ramos e o Pai como o agricultor. De tal modo os ramos estão ligados à videira que, sem dar nada a ela, recebem dela a seiva que lhes dá a vida. Por outro lado, podemos acrescentar que, os ramos unidos à videira são os que lhe possibilitam o desabrochar dos frutos.
› Leitor: Assim como o ramo não pode produzir fruto por si mesmo, vocês também não produzirão frutos se não ficarem unidos a mim’. Irmãos, irmãs, essa é uma imagem viva da graça que instrui os humildes e tampa a boca dos soberbos. Que repliquem, se são tão ousados, os que, ignorando a justiça de Deus, tentam impor a sua como norma. Que respondam os que, em tudo, buscam o seu prazer, parecendo-lhes que Deus não é necessário para realizar uma boa ação.
Aquele que crê poder dar fruto por si mesmo, não está unido à videira; quem não está unido à videira não está unido a Cristo, e o que não está unido a Cristo não é cristão.
› Prestem atenção uma e mil vezes nestas palavras de Jesus: ‘Eu sou a videira e vocês são os ramos. Quem fica unido a mim, e eu a ele, dará muito fruto, porque sem mim vocês não podem fazer nada’. Os ramos devem estar em um destes dois lugares: ou na videira ou no fogo. Se não está unido à videira, estará no fogo. Permaneçam, pois, unidos à videira para livrar-se do fogo. ‘Pai nosso, que estais no céu’. Em nossas orações permaneçamos nestas palavras e no seu sentido e obteremos o que pedimos. Porque as suas palavras permanecem em nós quando cumprimos os seus preceitos e acreditamos nas suas promessas. Porém quando as suas Palavras permanecem somente na nossa memória e não se refletem no nosso modo de viver, somos como um ramo fora da videira, que não recebe a seiva da raiz. (cf.Sto Agostinho, comentário do Evangelho de São João, 81, 1-4).
› Comentarista:
v - Que recado esta passagem do Evangelho, unida à reflexão de Agostinho, me traz hoje?
v - Posso comprovar, na minha vida de seguidora de Cristo, a verdade destas palavras: sem mim vocês não podem fazer nada?
Todos juntos, oremos: Permaneçam em mim e eu permanecerei em vocês. Tu és a videira e nós somos os ramos. Como os ramos estão unidos à videira e dela recebem a seiva que lhes dá a vida, assim estamos nós, Senhor, unidos a Ti e de ti recebemos a vida. Tu nos mantém unidos a Ti, sem receber de nós coisa alguma. Unidos a Ti, teremos vida, separados de Ti, secaremos como o ramo separado da videira. Ajuda-nos, Senhor, a permanecer unidos a Ti. Amém! (cf. Sto. Agostinho – Comentário de Ev. de São João 81,1).

» 4º DIA - CRISTO VIDEIRA

› Comentarista: “Eu sou o pão da vida” Como o Senhor te dará o pão da vida, se não ofereces pão ao necessitado? Ainda que Ele, o verdadeiro Senhor não necessita dos nossos bens, para que pudéssemos fazer alguma coisa a seu favor, se dignou sofrer fome na pessoa do pobre: Tive fome – disse Ele – e não me deste de comer. Quando, Senhor, te vimos faminto? Quando deste de comer a um destes pequenos, deste a mim. A outros dirá: quando não deste de comer a estes meus pequenos, a mim não deste. (Cf. Sermão 389, 5-6).
› Leitor: Os pobres e a pobreza ocupam na pregação de Agostinho o mesmo espaço que eles ocupavam nas ruas, onde ricos e mendigos praticamente se misturavam. “Faço-me mendigo por causa dos mendigos”(Sermão 66,5), proclama o Bispo. Eles eram a maioria, a grande massa em Hipona. Agostinho não podia ir à basílica sem cruzar com eles. E ficava triste por não poder ajudar a todos.
› “A cada dia, ah, são tantos os indigentes que pedem, gemem, nos suplicam, que nós deixamos muitos deles com sua tristeza, porque não temos o que dar para todos”(Cf. Sermão 355,5).
Agostinho exorta seus fiéis a testemunharem acolhida e benevolência aos refugiados de Roma, na África: Estamos no inverno. Pensem nos pobres. Vistam o Cristo que está nu. Cada um de vocês se prepara para recebê-lo na glória. Atenção! Aqui Ele está deitado no pórtico, morrendo de fome, tremendo de frio, na indigência. É um emigrado. Coloquem em prática todo o conhecimento que vocês têm da religião.
Peço-lhes, suplico, exorto: dêem provas de doçura, compartilhem os sofrimentos alheios, cuidem dos doentes. Nesta situação atual, quando tantos emigrados necessitam de tudo e estão doentes, pratiquem a hospitalidade com toda a generosidade, de forma inesgotável e façam boas obras. Isso é o que Cristo espera de vocês (Cf. Cidade de Deus, II, 29).
› Comentarista: Silenciemos por alguns minutos para que estas palavras de Agostinho toquem o nosso coração.
v - Em que a nossa situação atual se assemelha à situação concreta do Norte da África, no tempo de Agostinho?
v - Faça um paralelo entre a atuação do Bispo Agostinho com a decisão tomada pelos Bispos do Brasil na sua 40º Assembléia Geral, realizada em Itaici, do 10 ao 19 de Abril, deste ano.
› Todos juntos, oremos: Oh! Deus, ouve a minha prece! Tu és fiel, atende as minhas súplicas! Tu és justo, responde-me! Faze-me ouvir o teu amor pela manhã, pois é em Ti que eu confio. Indica-me o caminho a seguir, pois a Ti elevo a minha súplica. Ensina-me a cumprir a tua vontade, pois Tu és o meu Deus. Que o teu bom espírito me conduza por teus caminhos e eu possa entender qual é a parte que me toca, junto a Ti, na salvação do nosso povo. Tu que és o Deus que faz justiça aos oprimidos, que abre os olhos aos cegos, que endireita os encurvados, que ama os justos, que protege os estrangeiros, que sustenta o órfão e a viúva e que transtorna o caminho dos injustos, dá-me a coragem necessária para entrar em parceria contigo, nesta maravilhosa obra de resgate dos teus filhos das mãos dos mais variados tipos de inimigos. Amém! (Cf. Salmo 143 –142, 146-145).

» 5º DIA - A FORÇA DO ESPIRITO SANTO

› Comentarista: Hoje Santo Agostinho nos convida a contemplar a força da ação do Espírito Santo na vida dos seus discípulos. Na sua reflexão sobre as palavras de Jesus, anunciadas no Evangelho de São João, Agostinho nos mostra que o nosso amor a Cristo deve ser fortalecido pela presença do Espírito Santo em nós. É o Espírito que nos enche de coragem e nos torna capazes de anunciar a Jesus ressuscitado.
› Leitor: O Espírito Santo dará testemunho de mim e vocês também o darão, porque a caridade de Deus, derramada nos corações de vocês pelo Espírito Santo, lhes dará fortaleza para dar esse testemunho. Essa caridade é a que faltou a Pedro quando, atemorizado pelas perguntas que aquela mulher lhe fez, na noite da condenação de Jesus, não foi capaz de dar verdadeiro testemunho. Foi arrastado pelo grande temor que sentia, e em contra daquilo que havia prometido a Jesus, ele o negou três vezes. O amor de Pedro ainda era fraco, faltava ser fortalecido e dilatado pelo Espírito Santo.
No dia de Pentecostes, Pedro deixou-se invadir pela força do Espírito e de tal maneira abriu a boca, que antes se havia fechado pelo temor de dizer a verdade, que se destacou no meio daquela multidão, dando testemunho de Cristo e de sua ressurreição. Cheio do Espírito Santo, Pedro passou do temor à intrepidez, da escravidão à liberdade, provocando com as suas palavras a conversão de tantas línguas inimigas à confissão de Cristo. Tão grande era o fulgor da graça, tão expressiva era a plenitude do Espírito Santo sobre Pedro, tão grande era o peso das verdades que saiam de sua boca que encorajaram a morrer por Cristo, os seus próprios inimigos e verdugos, dos quais Pedro teve medo, naquela noite da condenação de Jesus.
O Espírito Santo, dando testemunho de Cristo e dando uma extraordinária fortaleza aos seus testemunhos, tirou todo o medo dos amigos de Cristo e converteu em amor o ódio de seus inimigos. (Cf. Santo Agostinho, comentário sobre o Evangelho de São João: 92,1-2).
› Comentarista: Em silêncio cada um, cada uma volte a sua atenção àquela parte da reflexão de Santo Agostinho que encontra eco em sua vida.
v - Comente a sua reflexão com a pessoa que está ao seu lado.
› Comentarista: Este é o momento para que cada um, cada uma, expresse espontaneamente o seu agradecimento a Deus, através de uma oração de louvor, ou faça o seu pedido.
› Todos juntos, oremos: Divino Espírito Santo, dom do Pai, enviado por Jesus para dar-nos vida, trazer-nos a paz, a verdade, a comunhão; para ajudar-nos a compreender a verdade trazida por teu Filho, ajuda-nos, como ajudaste aos discípulos, a vencer o medo e a insegurança de ser testemunhas de Jesus e de sua ressurreição, hoje e sempre, aqui e em todos os lugares e circunstâncias de nossa vida. Ajuda também a todos os missionários e missionárias que partem para todos os lugares da terra para anunciar o Evangelho de Jesus aos povos, para continuar a sua obra salvadora e edificar a Igreja como comunidade de salvação.
Ajuda-nos a ser, como Jesus, anunciadores do Reino aos pobres, a valorizar as pessoas, a perdoar os pecadores, a curar os doentes, a trazer alegria e sentido de vida aos marginalizados, a mostrar a face humana da verdadeira religião, a sentir e expressar ternura e compaixão, a aproximar Deus ao povo e o povo a Deus. Amém

» 6º DIA - A IGREJA

› Comentarista: Muita gente hoje tropeça com a Igreja como se ela fosse uma objeção para a sua fé e chega a afirmar: Deus sim, Igreja não. Agostinho, apesar das limitações da Igreja do seu tempo, soube aceitá-la, amá-la e trabalhar ardentemente nela e por ela. Ele dizia: “amemos ao Senhor Deus e amemos a Igreja. A Ele como Pai e a ela como mãe” (Comentário do salmo 88,2.14). “Ama a Igreja pois ela te gerou para a vida eterna” (Sermão 344,2). “Se amamos a Igreja, temos o Espírito Santo” (Tratado sobre o Evangelho de João 32,8).
› Leitor: A prolongação histórica de Jesus Cristo é a Igreja. Não se pode compreender a Cristo sem a Igreja e não se compreende a Igreja sem Jesus Cristo. A Igreja espelha a realidade do Cristo total formado pela Cabeça que é o mesmo Cristo e pelos membros que é o povo de Deus. O passar dos séculos e as marcas de tantas mãos humanas tem obscurecido a imagem límpida e verdadeira da Igreja.
Todo aquele que vai se aperfeiçoando na Igreja há de suportar os maus. Mas, os maus não querem saber coisa alguma dos iguais a eles, pois embora muitos maus murmurem contra os outros maus, é mais fácil um homem sadio suportar dois doentes, do que dois doentes se suportarem mutuamente. A Igreja atual é uma eira onde se juntam o trigo e a palha. Quem olha a eira de longe só vê palha. Se não olhar mais atentamente, se não estender a mão, não soprar, isto é, se não limpar e separar soprando, dificilmente chegará a distinguir os grãos.
Também acontece que, muitas vezes, os grãos estão colocados de tal modo que, separados entre si, não se tocam. Como resultado cada um que caminha para a perfeição pensa que está sozinho. Este pensamento, meus irmãos, minhas irmãs, tentou a Elias. Ele disse a Deus: “mataram teus profetas, arrasaram teus altares, só fiquei eu e querem tirar-me a vida”. Mas Deus disse a Elias... não penses que estás sozinho. Há outros, são sete mil e te julgas sozinho! ... quem ainda for mau, não pense que ninguém mais é bom. Quem é bom, não julgue ser o único bom e não receie ficar no meio dos maus... (Comentários dos Salmos 25,2.5).
› Leitor: Santo Agostinho não só se torna um membro vivo, dinâmico, entregado à Igreja de Jesus como também exorta a outros a colaborar com ela: “Não antenponhas o teu ócio às necessidades da Igreja, pois se não houvesse bons ministros que se determinassem assisti-la , quando ela dá a luz, não houvéssemos encontrado meio para nascer” (Carta 48.2 a Eudósio-abade).
› Comentarista:
v - Você se sente membro vivo da Igreja? Em que se nota?
v - A sua comunidade pode se chamar “célula viva de serviço, fermento renovador, presença eclesial, ou uma atividade paralela à Igreja Local?
› Todos juntos, oremos: Maria, Mãe de Jesus, Mãe da Igreja e nossa Mãe, permanece no meio de nós, como permaneceste unida aos discípulos na oração e na expectativa da vinda em plenitude do Espírito Santo sobre a Igreja nascente. Ajuda-nos a assumir a nossa vocação como Igreja povo de Deus, Igreja comunhão, que caminha na história e na história se torna sinal visível da sabedoria, bondade e misericórdia da Trindade Santa. Amém! Amém! Amém!

» 7º DIA - PALAVRA DE DEUS EM NOSSA VIDA

› Comentarista: Santo Agostinho nos conta, em suas confissões, que o seu primeiro contato com a Bíblia não foi nada agradável. Simplesmente não gostou. Mas à medida que o seu coração, a sua mente foram se abrindo à graça de Deus, se dirige a Ele, pedindo: “Que tuas Escrituras, meu Deus, sejam para mim um encanto cheio de pureza; que eu não me engane sobre elas, nem a outros engane com elas. Que as tuas palavras, Senhor, não fiquem ocultas sem resultado em meu coração sem as conseqüentes obras de justiça” . E promete a Deus que não gastará as suas horas livres a não ser na leitura e meditação da sua Palavra. (Cf. Conf. 11, 2.3).
› Leitor: Vocês agora são ouvintes da Palavra e nós somos os pregadores. Porém, no íntimo da cada um, no coração, na mente, todos nós somos ouvintes: os que pregam a Palavra e os que a ouvem. Uns e outros somos ouvintes da Palavra no nosso interior e todos devemos ser cumpridores da Palavra interna e externamente, na presença de Deus. Devemos deixá-la cair como a boa semente dentro de nós e transformá-la em uma boa ação: “divide o teu pão com o faminto” (Is.68,7). Portanto, “sejam cumpridores e não só ouvintes da palavra, enganando-se a vocês mesmos” (Sant. 1,22). Deus a quem não pode ocultar-se o coração humano, vê a intenção com que você a ouve, o que você pensa, com que você fica, que proveito tira da sua ajuda, com que insistência ora, como pede a Deus o que necessita, como agradece a Ele os bens recebidos. Gostaria que vocês pensassem nisto: se é belo ouvir a Palavra, mais belo ainda é pô-la em prática. “Quem ouve as minhas palavras e as põe em prática se assemelha ao homem prudente que constrói a sua casa sobre a rocha...Quem ouve as minhas palavras e não as põe em prática se assemelha ao homem imprudente que constrói a sua casa sobre a areia... quem ouve e não leva à prática constrói sobre areia, quem ouve e leva à prática, constrói sobre pedra e quem não ouve, não constrói nem sobre a rocha, nem sobre a areia... (Sto Agostinho, Sermão 179,2.7-9)
› Comentarista: O que é preferível?
1. Ouvir a palavra e pô-la em prática, porque assim se constrói sobre a rocha?
2. Ouvir e não por em prática e estar construindo sobre a areia?
3. Não ouvir?
4. Você já sabe o resultado do ouvir e por em prática e do ouvir e não por em prática. O que acontece com quem se nega a ouvir? Santo Agostinho diz: “Você não estará seguro por não ouvir porque nu e sem lar, você se sentirá derrubado, arrastado e submergido. Logo, se é mau edificar sobre areia, pior ainda será não edificar nada...
v - Compartilhe com o grupo uma de suas experiências de ouvir e por em prática a Palavra de Deus.
› Todos juntos, oremos: “Como é admirável, Senhor, a tua Palavra! (Conf. 12,14.17). Na riqueza do teu amor, falas aos homens como a amigos, conversas com eles, para convidá-los a participar da tua própria vida, a entrar na história de maneira ativa, comprometida, para ajudar-te na tua grande obra da salvação. Tu ages mediante a Palavra, falas e crias, falas e salvas. A tua palavra nos alimenta e ilumina o nosso caminho. Falas com Abraão, Moisés, Gedeão... falas com os profetas, com Maria e a Tua PALAVRA se faz carne e habita entre nós. Esta PALAVRA que é AMOR, é JUSTIÇA, é SOLIDARIEDADE.

» 8º DIA - A MISERICORDIA E A TERNURA DE DEUS

› Comentarista: Hoje Santo Agostinho nos convida a nos reconhecer como uma pequena criatura, conhecedora da própria limitação, diante da infinita onipotência do Criador. Agostinho depois da sua conversão experimenta a profunda necessidade de ser curado e sustentado pela misericórdia e ternura de um Deus que é, antes de tudo, PAI. Vamos ouvir uma parte da reflexão que ele faz sobre a parábola do Filho pródigo.
› Leitor: “O filho pródigo depois de esbanjar tudo, percebeu que havia perdido àquele a quem havia ofendido: seu pai. Percebe também nas mãos de quem havia caído. E “voltou a si mesmo” ... primeiro retornou a si mesmo e depois ao pai. Havendo retornado a si mesmo, sentiu-se miserável: “encontrei a tribulação e a dor e invoquei o nome do Senhor”...levantou-se e retornou. Seu pai o vê de longe e sai ao seu encontro. O pai lê o pensamento do filho. O filho tinha pensado o que ia dizer ao pai, porém ainda não lhe tinha dito, mas o Pai já havia captado o desejo do seu coração.
Às vezes quando nos sentimos atribulados ou assaltados por alguma tentação, pensamos rezar. O nosso pensamento começa a trabalhar sobre o que, como filhos, vamos dizer a Deus, nosso Pai, na oração, como vamos pedir-lhe que tenha misericórdia de nós. A maior parte das vezes o Pai já nos está ouvindo porque o nosso pensamento não se oculta aos seus olhos. “Muito perto está a misericórdia de Deus daqueles que se confessam. Deus não está longe dos contritos de coração”. (Cf. Sermão 112 A, 1-5).
› Comentarista: Um momento de silêncio procurando sentir no mais profundo do seu coração:
v - Como a misericórdia de Deus tem se manifestado na minha vida?
v - Depois de afastar-me de Deus por curto ou longo tempo, tenho a confiança de confiar na misericórdia do Pai, voltar a Ele, com humildade e confiança?
› Comentarista: Este é o momento para que cada um, cada uma, expresse espontaneamente o seu agradecimento a Deus, através de uma oração de louvor, ou faça o seu pedido.
› Todos juntos, oremos:s Louvor e glória a Ti, Senhor, que és a fonte de todas as misericórdias! (Conf. VI, 16.26).
Agora compreendo a necessidade de voltar a Ti, Senhor! Abre-me a porta, porque eu estou batendo; ensina-me o caminho para chegar a Ti. Sei que devo desprezar as coisas passageiras e transitórias e procurar o que é certo e eterno. Eu sei todas estas coisas, Pai, e tenho vontade de chegar a Ti, mas ainda eu não conheço o caminho. Ensina-me os teus caminhos, mostra-me como andar por eles e dá-me a força para a viagem.
Se com a fé chegam a Ti os que te buscam, dá-me a fé; se com a virtude, dá-me a virtude; se com a ciência, dá-me a ciência. Aumenta em mim a fé, aumenta a esperança, aumenta a caridade. Que admirável e singular é a tua bondade, Senhor! (Solilóquios I, 5-6)
› Cantemos: Tarde te amei, beleza infinita!

» 9º DIA - LANÇAR-SE EM DIREÇÃO À META

› Cantemos: Em nome do Pai, em nome do Filho, em nome do Espírito Santo, estamos aqui. Para louvar e agradecer, bendizer, adorar, estamos aqui, Senhor ao teu dispor. Para louvar e agradecer, bendizer e adorar! te aclamar, Senhor, Deus Trino de Amor.
› Comentarista: Hoje Santo Agostinho nos convida a não parar de caminhar. Quem se prende ao passado não caminha, quem pensa que já alcançou a meta, para. “Qualquer que seja o ponto a que chegamos, caminhemos em direção à meta.” (Fil.3,16). Não fiquemos no lugar da chegada, caminhemos a partir dele.
› Leitor: “Esquecendo-me do que fica para trás avanço para o que está na frente. Lanço-me em direção à meta, em vista do prêmio do alto, que Deus nos chama a receber em Jesus Cristo”.(Fl, 3.13-14)
Ainda corro, ainda avanço, ainda ando, ainda estou a caminho, ainda me esforço, ainda não cheguei. Deste modo, se você anda, se você se esforça, se você tem no pensamento o que deverá vir, joga o passado para o esquecimento, não volte o seu olhar para ele, para não empacar no lugar onde você pôs o seu olhar. Não paremos aonde chegamos. Caminhemos!
O que significa caminhar? Significa avançar, avançar no bem. Segundo o Apóstolo, alguns avançam para o pior. Você, se avança, por favor, avance para o bem, na fé, nas boas obras: cante e caminhe! Faça como os viandantes que costumam cantar quando caminham. Console com o canto o seu trabalho, não ame a preguiça; cante e caminhe! Avance no caminho, meu irmão, minha irmã; examine-se continuamente sem se enganar. Se você diz: “Chega!” você está perdido. retrocede, deserta, se desvia. Não saia do caminho, não volte para trás, não fique parado. (Cf. Sermão 169,18 e 256, 1.3).
› Leitor: Quando Agostinho sente na sua própria fraqueza a força da misericórdia de Deus, empreende o caminho rumo à meta com mais decisão, coragem e alegria. Ele sabe que o caminho é longo e que é preciso andar, correr. Do seu passado, guarda a lembrança da presença de um Deus que é Pai e que o arrancou do caminho errado. Olha para a frente, na direção que Deus lhe vai indicando e caminha.
E você?
› Comentarista: Este é o momento para que cada um, cada uma, expresse espontaneamente o seu agradecimento a Deus, através de uma oração de louvor, ou faça o seu pedido.
› Todos juntos, oremos: “Ó Senhor meu Deus, única esperança minha, ouve-me, a fim de que jamais me entregue ao cansaço e não mais queira te buscar, mas ao contrário que sempre procure tua face com todo o ardor. Fortalece aquele que te busca, tu que permitiste seres encontrado, e me cumulaste de esperança de sempre mais te encontrar.
Eis em tua presença a minha força e a minha fraqueza: conserva a força e cura a fraqueza. Na tua presença, minha ciência e minha ignorância: lá onde me fechaste, abre-me ao bater. Que de ti me lembre, que te compreenda e te ame! Faze-me crescer nesses dons, até que me restaures totalmente”. (A Trindade, 15 Oração à Trindade).

Dia de São Agostinho (com texto)

28 de Agosto - Santo Agostinho de Hipona

Bispo e doutor da Igreja (354-430)
Aurélio Agostinho nasceu no dia 13 de novembro de 354, na cidade de Tagaste, hoje região da Argélia, na África. Era o primogênito de Patrício, um pequeno proprietário de terras, pagão. Sua mãe, ao contrário, era uma devota cristã, que agora celebramos como santa Mônica, no dia 27 de agosto. Mônica procurou criar o filho no seguimento de Cristo. Não foi uma tarefa fácil. Aliás, ela até adiou o seu batismo, receando que ele o profanasse. Mas a exemplo do provérbio que diz que "a luz não pode ficar oculta", ela entendeu que Agostinho era essa luz.

Aos 16 anos de idade, na exuberância da adolescência, foi estudar fora de casa. Na oportunidade, envolveu-se com a heresia maniqueísta e também passou a conviver com uma moça cartaginense, que lhe deu, em 372, um filho, Adeodato. Assim era Agostinho, um rapaz inquieto, sempre envolvido em paixões e atitudes contrárias aos ensinamentos da mãe e dos cristãos. Possuidor de uma inteligência rara, depois da fase de desmandos da juventude, centrou-se nos estudos e formou-se, brilhantemente, em retórica. Excelente escritor, dedicava-se à poesia e à filosofia.

Procurando maior sucesso, Agostinho foi para Roma, onde abriu uma escola de retórica. Foi convidado para ser professor dessa matéria e de gramática em Milão. O motivo que o levou a aceitar o trabalho em Milão era poder estar perto do agora santo bispo Ambrósio, poeta e orador, por quem Agostinho tinha enorme admiração. Assim, passou a assistir aos seus sermões. Primeiro, seu interesse era só pelo conteúdo literário da pregação; depois, pelo conteúdo filosófico e doutrinário. Aos poucos, a pregação de Ambrósio tocou seu coração e ele se converteu, passando a combater a heresia maniqueísta e outras que surgiram. Foi batizado, junto com o filho Adeodato, pelo próprio bispo Ambrósio, na Páscoa do ano de 387, com 33 e 15 anos de idade, respectivamente.

Nessa época, Agostinho passou por uma grande provação: seu filho morreu. Era um menino muito inteligente, a quem dedicava muita atenção e afeto. Decidiu, pois, voltar com a mãe para sua terra natal, a África, mas Mônica também veio a falecer, no porto de Óstia, não muito distante de Roma. Depois do sepultamento da mãe, Agostinho prosseguiu a viagem, chegando a Tagaste em 388. Lá, decidiu-se pela vida religiosa e, ao lado de alguns amigos, fundou uma comunidade monástica, cujas Regras escritas por ele deram, depois, origem a várias Ordens, femininas e masculinas. Porém, o então bispo de Hipona decidiu que "a luz não devia ficar oculta" e convidou Agostinho para acompanhá-lo em suas pregações, pois já estava velho e doente. Para tanto, ele consagrou Agostinho sacerdote e, logo após a sua morte, em 397, Agostinho foi aclamado pelo povo como novo bispo de Hipona.

Por 34 anos, Agostinho foi bispo daquela diocese, considerado o pai dos pobres, um homem de alta espiritualidade e um grande defensor da doutrina de Cristo. Na verdade, foi definido como o mais profundo e importante filósofo e teólogo do seu tempo. Sua obra iluminou quase todos os pensadores dos séculos seguintes. Escreveu livros importantíssimos, entre eles sua autobiografia, "Confissões", e "Cidade de Deus".

Depois de uma grave enfermidade, morreu amargurado, aos 76 anos de idade, em 28 de agosto de 430, pois os bárbaros haviam invadido sua cidade episcopal. Em 725, o seu corpo foi transladado para Pavia, Itália, sendo guardado na igreja São Pedro do Céu de Ouro, próximo do local de sua conversão. Santo Agostinho recebeu o honroso título de 'Doutor da Igreja' e é celebrado no dia de sua morte.
Fonte: Portal Paulinas

Dia dos Bancários - Parabéns!!!!!


Dia Nacional do Voluntariado


Booooom diaaaaa meus amores!!!


quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Santa Mônica


Dia de Santa Mônica (com texto)

27 de Agosto - Santa Mônica

Viúva (332-287)
Mônica nasceu em Tagaste, atual Argélia, na África, no ano 332, no seio de uma família cristã. Desde muito cedo dedicou sua vida a ajudar os pobres, que visitava com frequência, levando o conforto por meio da Palavra de Deus. Teve uma vida muito difícil. O marido era um jovem pagão muito rude, de nome Patrício, que a maltratava. Mônica suportou tudo em silêncio e mansidão. Encontrava o consolo nas orações que elevava a Cristo e à Virgem Maria pela conversão do esposo. E Deus recompensou sua dedicação, pois ela pôde assistir ao batismo do marido, que se converteu sinceramente um ano antes de morrer.

Tiveram dois filhos, Agostinho e Navígio, e uma filha, Perpétua, que se tornou religiosa. Porém Agostinho foi sua grande preocupação, motivo de amarguras e muitas lágrimas. Mesmo dando bons conselhos e educando o filho nos princípios da religião cristã, a vivacidade, inconstância e o espírito de insubordinação de Agostinho fizeram com que a sábia mãe adiasse o seu batismo, com receio de que ele profanasse o sacramento.

E teria acontecido, porque Agostinho, aos 16 anos, saindo de casa para continuar os estudos, tomou o caminho dos vícios. O coração de Mônica sofria muito com as notícias dos desmandos do filho e por isso redobrava as orações e penitências. Certa vez, ela foi pedir os conselhos do bispo, que a consolou dizendo: "Continue a rezar, pois é impossível que se perca um filho de tantas lágrimas".

Agostinho tornou-se um brilhante professor de retórica em Cartago. Mas, procurando fugir da vigilância da mãe aflita, às escondidas embarcou em um navio para Roma, e depois para Milão, onde conseguiu o cargo de professor oficial de retórica.

Mônica, desejando a todo custo ver a recuperação do filho, viajou também para Milão, onde, aos poucos, terminou seu sofrimento. Isso porque Agostinho, no início por curiosidade e retórica, depois por interesse espiritual, tinha se tornado frequentador dos envolventes sermões de santo Ambrósio. Foi assim que Agostinho se converteu e recebeu o batismo, junto com seu filho Adeodato. Assim, Mônica colhia os frutos de suas orações e de suas lágrimas.

Mãe e filho decidiram voltar para a terra natal, mas, chegando ao porto de Óstia, perto de Roma, Mônica adoeceu e logo depois faleceu. Era 27 de agosto de 387 e ela tinha 56 anos.

O papa Alexandre III confirmou o tradicional culto a santa Mônica, em 1153, quando a proclamou Padroeira das Mães Cristãs. A sua festa é celebrada no dia de sua morte. O seu corpo, venerado durante séculos na igreja de Santa Áurea, em Óstia, em 1430 foi trasladado para Roma e depositado na Igreja de Santo Agostinho.
Uma de suas frases: "Nada está longe de Deus".
Fonte: Portal Paulinas

Aos aniversariantes do Dia beijinhos e abraços


Dia Mundial da Limpeza Urbana - façamos a nossa parte


Feliz dia do Corretor


parabéns a todos os Psicólogos


Boooom diaaaaa!!!


quarta-feira, 26 de agosto de 2015

resposta: Pedido de Lombofaixa Calçadão e Shopping Popular (camelódromo)



resposta: Programa de Incencivo Desenvolvimento Sustentável



Dia da Igualdade da Mulher


Dia de São Zeferino (com texto)


26 de Agosto - São Zeferino

Papa, mártir (199-217)
O papa Zeferino exerceu um dos pontificados mais longos da Igreja de Cristo, de 199 a 217. E os únicos dados de sua vida registrados declaram que, depois do papa Vitor, de origem africana, clero e povo elegeram para a cátedra de Pedro um romano, Zeferino, filho de um certo Abôndio.

Zeferino foi o 14º papa a substituir são Pedro. Enfrentou um período difícil e tumultuado, com perseguições para os cristãos e de heresias entre eles próprios, que abalavam a Igreja mais do que os próprios martírios. As heresias residiam no desejo de alguns em elaborar só com dados filosóficos o nascimento, a vida e a morte de Jesus Cristo. A confusão era generalizada, uns negavam a divindade de Jesus Cristo, outros se apresentavam como a própria revelação do Espírito Santo, profetizando e pregando o fim do mundo.

Mas o papa Zeferino, que não era teólogo, foi muito sensato e, amparado pelo poder do Espírito Santo, livrou-se dos hereges. Para isso, uniu-se aos grandes sábios da época, como santo Irineu, Hipólito e Tertuliano, dando um fim ao tumulto e livrando os cristãos da mentira e dos rigorismos.

O papa Zeferino era dotado de inspiração e visão especial. Seu grande mérito foi ter valorizado a capacidade de Calisto, um pagão convertido e membro do clero romano, que depois foi seu sucessor. Ele determinou que Calisto organizasse cemitérios cristãos separados daqueles dos pagãos. Isso porque os cristãos não aceitavam cremar seus corpos e também queriam estar livres para tributarem o culto aos mártires.

O papa Zeferino conseguiu que as nobres famílias cristãs, possuidoras de tumbas amplas e profundas, transferissem-nas para a Igreja. Assim, Calisto começou a fazer galerias subterrâneas ligando umas às outras e, nas laterais, foi abrindo túmulos para os cristãos e para os mártires. Todo esse complexo deu origem às catacumbas, mais tarde chamadas de catacumbas de Calisto.

Esse foi o longo pontificado de Zeferino, encerrado pela intensificação às perseguições e pela proibição das atividades da Igreja, impostas pelo imperador Sétimo Severo.

O papa são Zeferino foi martirizado junto com o bispo santo Irineu, em 217, e foi sepultado numa capela nas catacumbas que ele mandou construir em Roma, Itália.
Fonte: Portal Paulinas

Aos aniversariantes do dia BEIJINHOS E ABRAÇOS!!!!


Balcão de Emprego 26 de Agosto





Na tribuna pelo Dia Municipal Contra Homofobia (com texto) Ser homossexual no Brasil é um fator de risco. É o que mostra o relatório produzido pelo Grupo Gay da Bahia (GGB), entidade de reconhecimento internacional e que há 30 anos monitora os casos de violência contra homossexuais. Pelo menos 312 gays, lésbicas e travestis brasileiros foram assassinados em 2013, média de um homicídio a cada 28 horas, revela pesquisa feita pelo Grupo Gay da Bahia (GGB). A entidade estima que 99% dos crimes foram motivados por homofobia. Apesar de apontar uma queda de 7,7% em relação a 2012, quando foram registradas 388 mortes, a pesquisa destaca que o número de assassinatos de homossexuais cresceu 14,7% nos últimos quatro anos. Segundo o estudo, o Brasil segue como campeão mundial em homicídios de homossexuais: de cada cinco gays ou transgêneros assassinados no mundo, quatro são brasileiros. E os dados reunidos neste começo de ano apontam tendência de piora no quadro: em janeiro, 42 homossexuais foram assassinados, ou seja, um a cada 18 horas. O Dia Municipal de Luta Contra a Homofobia e Transfobia comemora-se a 17 de maio, data em que a Organização Mundial de Saúde retirou, em 1992, a homossexualidade da sua lista de doenças mentais. Foi um longo percurso, mas que ainda não terminou. Tal como o preconceito, os LGBT’s existem transversalmente na nossa sociedade. São médicos, artistas, professores, advogados ou políticos. São colegas de trabalho e amigos. São tios, primos, irmãos e pais. Somos, muitas vezes, nós próprias. Com este dia pretende criar-se uma consciência para o fenômeno da homofobia e transfobia. Hoje, todos somos chamados a contribuir para uma sociedade mais inclusiva. Junta-te a nós e informa-te, rejeita a discriminação. Por um mundo sem discriminação, sem violência, sem homofobia nem transfobia. Está Casa de Leis está dando um passo importante na luta contra a homofobia e transfobia. Mas não irei parar por aqui. A nossa luta é diária e para todos e por todos. Obrigada


Ser homossexual no Brasil é um fator de risco. É o que mostra o relatório produzido pelo Grupo Gay da Bahia (GGB), entidade de reconhecimento internacional e que há 30 anos monitora os casos de violência contra homossexuais.

Pelo menos 312 gays, lésbicas e travestis brasileiros foram assassinados em 2013, média de um homicídio a cada 28 horas, revela pesquisa feita pelo Grupo Gay da Bahia (GGB). A entidade estima que 99% dos crimes foram motivados por homofobia.

Apesar de apontar uma queda de 7,7% em relação a 2012, quando foram registradas 388 mortes, a pesquisa destaca que o número de assassinatos de homossexuais cresceu 14,7% nos últimos quatro anos.

Segundo o estudo, o Brasil segue como campeão mundial em homicídios de homossexuais: de cada cinco gays ou transgêneros assassinados no mundo, quatro são brasileiros.
E os dados reunidos neste começo de ano apontam tendência de piora no quadro: em janeiro, 42 homossexuais foram assassinados, ou seja, um a cada 18 horas.

O Dia Municipal de Luta Contra a Homofobia e Transfobia  comemora-se a 17 de maio, data em que a Organização Mundial de Saúde retirou, em 1992, a homossexualidade da sua lista de doenças mentais. Foi um longo percurso, mas que ainda não terminou.

Tal como o preconceito, os LGBT’s existem transversalmente na nossa sociedade. São médicos, artistas, professores, advogados ou políticos. 
Com este dia pretende criar-se uma consciência para o fenômeno da homofobia e transfobia.
Hoje, todos somos chamados a contribuir para uma sociedade mais inclusiva. 
Por um mundo sem discriminação, sem violência, sem homofobia nem transfobia.
Está Casa de Leis está dando um passo importante na luta contra a homofobia e transfobia. Mas não irei parar por aqui.
A nossa luta é diária e para todos e por todos.

Obrigada

Fotos da sessão 24 de Agosto







fotos by Maycon Morano